• Susse Magazine

Igor Montenegro, a nova cara do indie pop

Sem medo de ser pop e versátil, Igor Montenegro arranca críticas positivas por onde passa e se estabelece como uma das grandes promessas do cenário indie pop e soft rock esse ano.



Igor Montenegro trilha seu caminho na cena indie pop e soft rock como um artista que não tem medo de se entregar quando canta sobre o amor e a vida.

Vindo de Fortaleza, o músico de 22 anos representa uma geração que se arrisca e que chega cheia de atitude ao cantar músicas que falam de amor incondicional, inseguranças e corações partidos. 


O cantor e compositor acaba de lançar seu primeiro EP, “The Acoustic EP Number 1” em todas as plataformas digitais, projeto que contém 5 faixas com uma roupagem acústica, formato que se encaixa muito bem na proposta do músico. Após lançar os singles "Flamethrower", "Serious" e "Fall For Someone New", Igor teve a idéia de fazer a versão acústica, agregando ao material duas tracks novas, as músicas "Love Her" e “You Make Love Easy".


Com uma carreira consolidada na banda The Mob, tendo tocado ao lado de bandas como Lagum  e UM44K, Igor aposta em sua carreira solo, projeto influenciado por artistas como Ed Sheeran, John Mayer e McFly.


Convidamos o cantor e compositor para ser nossa primeira capa da Susse Magazine, e em uma conversa descontraída, Igor Montenegro nos conta mais sobre sua carreira, processo de composição, influências musicais e planos futuros.

Confira!


Como a música surgiu em sua vida? 

IGOR: Quando eu era criança todo final de semana meu pai botava alguns DVD’s de samba, MPB,Bossa Nova pra tocar aqui em casa e eu sempre gostava de escutar,fora isso meu tio trabalha com eventos então desde pequeno eu vivia indo pra shows,tipo Xuxa, Sandy&Junior e por ai vai. Quando eu tinha uns 12 anos fiz aulas de violão e desde então eu não soltei o instrumento. Já na escola no ano que comecei a tocar violão era na mesma época que outros amigos estavam começando a tocar também e ai formei o primeiro “grupo musical” que eu tive, depois veio a primeira banda,lá pros meus 16/17 anos, depois entrei na The Mob, banda que toco ainda hoje, e nos últimos anos comecei a trabalhar mais no meu projeto solo! Você já experimentou algum tipo de bloqueio criativo? Como que você canaliza suas inspirações e as transforma em música? Você compõem de forma mais introspectiva e sozinho, ou conta com suporte de parceiros?  IGOR: Acho que sim ,algumas vezes, mas eu não sei se acredito muito nisso de bloqueio criativo, tem horas que a cabeça não funciona só ou eu não consigo processar muito bem o que to sentindo ou sobre o que eu quero escrever.

Normalmente eu sento com o violão ou o piano e fico tocando até aparecer algo que eu goste , testo melodias, harmonias e principalmente letras/frases diferentes até que algo faça sentido pra mim.

Eu não tenho problema em compor com outras pessoas, Flamethrower que é meu primeiro single escrevi com um grande amigo meu Marco Ribeiro, mas normalmente eu escrevo mais sozinho. Dentro do cenário do indie, pop e rock nacional, você costuma acompanhar bandas com trabalho autoral? E sobre as estrangeiras, alguma atual que tenha lhe chamado a atenção ultimamente? IGOR: Sempre haha. Eu amo escutar música nova. Eu criei meio que um “quadro” no meu Instagram toda sexta chamado “NEW MUSIC FRIDAY” que eu posto os novos lançamentos da semana . Eu acompanho muito uma banda chamada The 1975, eles são britânicos,são uma das minhas bandas favoritas, eu vicio em tudo que eles lançam.Do Brasil eu sou muito fã de Vitor Kley e Lagum, as duas bandas tão lançando singles e espero que jaja saia um album. Eu curto muito também as músicas do Fellipe Lustosa, é um cantor compositor de Fortaleza, as letras deles são fenomenais. Que dica você daria a músicos brasileiros da cena indie, pop e rock, que tem medo de experimentar e inventar coisas novas em suas músicas? IGOR: Eu acredito muito que você pode sempre aprender um pouco mais e a gente ta sempre aprendendo. Se testar e fazer experimentos em gêneros, estilos, instrumentos, o que quer que seja de novo e diferente é sempre algo muito bom pra você crescer como artista. Eu tenho uma música chamada “Serious”, ela inicialmente era um reggae, e eu não toco reggae, mas eu fiz ela em reggae porque foi onde a composição me levou. Depois eu só transformei ela no que ela é junto com Claudio Mendes que foi quem produziu a música, a gente trouxe alguns elementos do reggae pra música. Qual instrumentos você toca, e qual modelo e marcas de equipamentos você usa? Conta pra gente essa relação de amor com o instrumento. 

IGOR: O instrumento que eu mais toco é o violão. Eu tenho um Taylor GS mini, antes disso eu tive dois violões de marcas nacionais(um Giannini de nylon e um Strimberg de aço).

Eu amo meu violão loucamente, ele é de uma linha chamada “Traveller Guitar” que é uma linha de violões pequenininhos, isso facilita o transporte dele e eu levo ele pra todo canto. Ele já tá comigo desde Dezembro de 2017, tem algumas marcas de guerra e perdeu aquele cheirinho de novo que tinha mas ainda tem o mesmo som maravilhoso de sempre, melhor ainda quando eu troquei as cordas pra 0.12, 90% das músicas que eu escrevi foram nele, meu companheiro pra todas as horas.


Quais são as suas maiores influências musicais? Pra você qual é o maior cantor e compositor de todos os tempos?

IGOR: Eu tenho muitas influências porque pra cada uma delas eu atribuo alguma coisa. McFly er uma delas porque foi a primeira banda que eu conheci que eu vi uma dedicação gigantesca pra entregar o melhor show possível pros fãs. Eu amo The 1975 pelas letras e pela performance do vocalista deles. Hunter Hayes tem umas das letras mais lindas que já escutei. John Mayer e Ed Sheeran são os artistas que me deram aquele empurrãozinho pra eu começar a fazer o que faço hoje tendo alguém pra me espelhar.

Toda vez que eu penso nisso a primeira banda que me vem na cabeça são os Beatles, mais específico o Paul McCartney, eu não sou nem perto do fã de Beatles que eu queria ser e conheço poucas músicas, mas eu reconheço o impacto e a influência gigantesca que eles têm na história da música. Qual foi o melhor show da carreira até hoje? Conta pra gente.

IGOR: Acho que tenho dois empatados em primeiro. Eu toquei no Órbita Bar em 2017 fazendo um cover do Ed Sheeran, assim que eu comecei a tocar todos os meus amigos que tavam na plateia começaram a gritar e eu quase chorei ali mesmo antes de começar a cantar, o show todo pra mim é um “big blur” de felicidade. O outro foi um show recente que fiz no iMusic Festival que aconteceu aqui em Fortaleza. Foi o primeiro festival que eu toquei como Igor Montenegro,como artista solo, foi muito intenso, eu toquei 3 sets de 20 minutos entre as atrações principais do festival, quando eu desci do primeiro set eu desabei de choro dando um abraço num amigo que tava me esperando embaixo do palco, foi muito intenso e eu me entreguei muito naquele show e eu tive uma resposta muito muito boa do publico e dos produtores do evento e de patrocinadores e dos meus amigos, foi um dia muito feliz.

Qual é a sua faixa favorita do seu novo EP?

IGOR: Um pouco difícil de dizer. O meu EP são os três primeiros singles que eu lancei em 2019 num formato acústico e mais duas músicas novas também acústicas, são meus xodós, são as primeiras músicas que eu escrevi, menos Love Her, ela é mais recente.Talvez um mês atras as minhas respostas fossem diferentes,mas a versão de Serious me deixou muito feliz porque era a versão que eu tocava ao vivo antes mesmo da música ser lançada e eu adorava ela daquele jeito, bem bouncy e groovada. E eu tenho um carinho por You Make Love Easy porque é uma música que ela é aquilo ali e pronto, simples, acústica e sincera.

Quais os planos para 2020?

IGOR: 2020 tá sendo um ano muito atípico, eu diria. Eu tava animadão com esse ano, muitas coisas boas tavam acontecendo e eu tava programando muita coisa massa. Eu ainda não tenho certeza da confirmação dos meus planos pra esse ano, mas eu quero bastante tentar fazer uma mini turnê Nordeste/Sudeste esse ano e quem sabe algumas muitas músicas novas também. Tem muita música guardada pronta pra ser gravada, assim que eu tiver o ok pra ir pro estúdio eu já tô lá hehe, tô organizando também algumas colaborações com artistas amigos meus ,quem sabe elas saem também esse ano .


Confira aqui o novo EP de Igor Montenegro, “The Acoustic EP Number 1”:

https://spoti.fi/2Jvau7P



  • Facebook
  • Twitter
  • Instagram