SUSSE MAGAZINE

  • Susse Magazine

Entrevista: Banda irlandesa de post punk, Movment, fala sobre sua trajetória e novo disco



Everything Will Be Clear é o último single do álbum Transformation do duo Movment . O Single está disponível no Bandcamp e em todo streaming. A faixa EVERYTHING WILL BE CLEAR foi gravada no End of Light Studios, Mullingar, Irlanda e mixada em Miloco, Londres e masterizada por Jerome Schmitt no The Airlab. Movment é uma banda de indie rock alternativo pós-punk. Os movimentos são mais escuros que claros, mais fortes que fracos, mais diretos. O movimento faz observações sobre a vida e o viver. Eles querem dizer o que dizem. Há uma divergência na sociedade. O novo álbum Transformation, com lançamento em dezembro de 2021, explora essa situação. Somos bombardeados com informações, opiniões, pontos de vista e palavras. Afogamo-nos em ideias, em soluções, em propaganda. É preciso haver uma TRANSFORMAÇÃO de onde estamos agora. Explora o que somos. O movimento já passou por isso antes. Eles examinam Que Caminho Deve Ser. A hora deles é AGORA! Não há nada que não possamos fazer! Conversamos com a banda sobre suas influências musicais, processo de gravação, entre outras curiosidades. Confira a entrevista: De onde você tirou a ideia para o nome da banda, você planejou ou saiu assim? MK: Nós fazemos música juntos há muito tempo. Nossa primeira banda, Raw Novembre, foi formada com alguns amigos e passamos a lançar 3 álbuns e alguns singles e EPs KK: Nós sempre escrevemos músicas juntos e quando Raw Novembre terminou, e mesmo antes disso, estávamos escrevendo e gravando como MOVMENT. O nome movimento vem de um grupo de pessoas com as mesmas ideias, como um movimento político, mas não necessariamente. Pode ser um movimento social, ou um movimento artístico. Gostaríamos de nos conectar com as pessoas com nossa música. Há muito tempo usamos o nome MOVIMENTO. Gostávamos da ideia da música como um movimento. Por que você quis tocar esse gênero? MK: Nós somos fãs de música, então a música que tocamos foi influenciada pelas bandas que ouvimos. Temos gostos musicais semelhantes - rock, metal, indie, punk, pós-punk, etc. KK: Eu gosto muito de Riffs e graves profundos. Então isso influenciou nosso som. Somos inspirados por outras bandas, de vários gêneros diferentes. Há tanta música lá fora para ouvir! Vocês se conheciam antes da banda ser formada? MK: Nós somos irmãos. Então, começamos a tocar juntos assim que adquirimos os instrumentos. Eu peguei uma bateria e Kevin pegou um baixo e nós começamos a partir daí. KK: Passamos para guitarra e vocais em nossa primeira banda. Também gosto de sintetizadores. Suponho que haja uma relação especial quando se toca música com um irmão. Há uma compreensão e uma conexão que pode ser difícil de descrever. A banda favorita de cada membro da banda? MK: Eu gosto de New Model Army, Iron Maiden e Nine Inch Nails, mas existem muitas outras bandas que eu escuto. KK: Eu tento ouvir todos os tipos de música, algumas novas, outras antigas. Estou ouvindo Amyl & The Sniffers, The Stranglers e Gojira no momento. Mas há muitas bandas que eu gostei ao longo dos anos, Joy Division, At The Drive-In, Sonic Youth, Black Sabbath - muitas para mencionar. Quem ou o que te inspira a escrever músicas? MK: Nós sempre tocamos juntos, e geralmente temos muitas músicas. Nós escrevemos música sobre a vida e a vida e o que vemos ao nosso redor. Coisas que são importantes para nós. Escrever músicas é apenas uma parte fundamental de nossas vidas agora. KK: Nossa música tende a ser sombria, e isso é porque a maioria das músicas que ouvimos é sombria. Algumas de nossas músicas são otimistas. Nós comentamos sobre o que vemos na vida. Geralmente começamos com música e adicionamos letras depois. Uma música nasce quando a letra e a música se encaixam. Nós regularmente tocamos com baixo e bateria ou guitarra e bateria e expandimos as ideias. Eu tenho usado eletrônicos e sintetizadores nos últimos anos. Você pode falar um pouco sobre o último lançamento? Como foi o processo de gravação? MK: Estávamos escrevendo músicas para o nosso álbum Transformation desde 2017. Acho que tínhamos cerca de 25 músicas e ideias inicialmente e isso foi reduzido para 16 músicas. Em seguida, gravamos 10 dessas músicas em nosso próprio estúdio em casa. A mixagem e a masterização foram concluídas em Londres. KK: Sim, temos um excelente estúdio de escrita no momento. Eu acho que isso nos permite obter nossas ideias e sons. E a magia da mixagem e masterização dá vida a essas músicas. Mas com os estúdios caseiros modernos é muito mais fácil gravar músicas em casa e com um alto padrão. Permite que as ideias sejam desenvolvidas, para que as mixagens finais fiquem mais próximas do que queríamos. Preferimos escrever e gravar em nosso próprio estúdio. Não tenho certeza se conseguiria escrever músicas com um cronômetro. Algumas músicas evoluem rapidamente, enquanto outras levam tempo. É mais fácil fazer isso em nosso próprio tempo e em casa. Onde foi seu último show? MK: Fizemos um show em dezembro passado (2021). Foi para um especial de fim de ano. Tocamos 5 músicas, e como não tocamos há algum tempo, foi uma boa experiência. KK: Não tocamos há vários anos por causa do COVID, mas estamos ensaiando no momento e provavelmente faremos alguns shows e festivais na Irlanda neste verão. Onde você gostaria de atuar? (tocar um show?) MK: Você quer dizer jogar? Provavelmente tocaremos apenas na Irlanda por enquanto, mas se surgirem oportunidades, poderemos tocar em datas no Reino Unido ou na Europa. KK: Vamos ver como as coisas vão. Estamos abertos para tocar em algumas datas internacionais. Então, se for possível, mas provavelmente não antes do outono. Com quem você gostaria de se apresentar? MK: Nós realmente não nos importamos com quem tocamos, mas faz sentido tocar com bandas de um gênero semelhante ao nosso. KK: Festivais tendem a ser diversos, então estamos abertos para tocar a maioria deles. Acho que em festivais você pode tocar ao lado de bandas de diferentes gêneros. Existem alguns festivais que provavelmente nos agradariam. Seria ótimo tocar em um festival com bandas como Rage Against The Machine, Pixies, Iron Maiden, Gojira... Algum de vocês já sofreu de medo do palco? Alguma dica para iniciantes sobre como vencer isso? MK: Provavelmente no começo, mas depois que você faz muitos shows, isso não é mais um problema KK: Quando você começa a jogar, você pode ficar nervoso, ou até ficar em branco. Mas com o tempo isso vai desaparecer. Lembro-me do dia e do show em que isso desapareceu completamente. É sempre melhor ser bem ensaiado. Mas algumas bandas gostam de improvisar. Então acho que depende. Mas muito ensaio definitivamente ajudará com o medo do palco. Quando você conhece suas músicas de trás para frente, então você pode curtir mais o show... Quais bandas mais te inspiraram? MK: Uma banda que admirávamos no começo era o Fugazi. Era sua ética DIY e preços justos para seus CDs e shows. Assim como suas músicas. KK: Algumas bandas eram inspiradoras, principalmente se tivessem seu próprio som e fossem únicas. Nine Inch Nails são uma grande influência, e Jesus and Mary Chain e The Jesus Lizard. Eu ouço uma grande variedade de músicas, de Smashing Pumpkins a Depeche Mode, Vox Low e Sparklehorse. Eu também sou um grande fã dos Wipers, especialmente os 3 primeiros álbuns. Qual foi a coisa mais estranha que um fã já te pediu? MK: Não me lembro de nada além de procurar álbuns para serem autografados KK: Nós apenas tendemos a conversar com os fãs sobre música. Não me pediram nada de estranho até agora. O que você acha dos seus fãs? MK: Temos uma grande reverência por qualquer um que tenha tempo para ouvir nossa música. Nós mesmos somos fãs de música. Então, sabemos como é curtir as bandas que gostamos. KK: Sim, nós entendemos o quanto a música pode significar para eles. É uma honra para nós ter pessoas que gostam da nossa música e se divertem com ela. Algo a acrescentar? MK: Ainda estamos promovendo nosso álbum Transformation. E em breve teremos novidades sobre isso. KK: Sim, nosso álbum foi bem recebido em muitos países, e iremos expandir nossa promoção em um futuro próximo com uma nova e excitante parceria. MK: Nós também estamos escrevendo um novo álbum e estamos fazendo muito progresso nisso. Já temos cerca de 22 músicas/idéias e estamos trabalhando nelas. KK: É possível que a composição do novo álbum possa ser concluída até o final do verão e, nesse caso, talvez seja possível lançá-lo antes do final de 2022. Espero que sim!

Compre o novo álbum do MOVMENT TRANSFORMATION em movment.bandcamp.com Assista ao vídeo de Everything Will Be Clear: https://youtu.be/r_fJ25Xpdm8 Ouça Everything Will Be Clear no Soundcloud: https://bit.ly/35pxgfy